maio 06, 2008

O absurdo

As palavras não dizem muito.
É que não há nenhum verso bem colocado que dê conta do que eu tenho calado. Pois os versos são compostos de palavras, linguagem articulada, apenas discurso. Mas, diga-se de passagem, são apenas versos em face à vida. Não mostram o olhar, não trazem o suspiro, nem arrefecem o coração apertado. Nem demonstram a expressão de um contentamento descontente, como diria o poeta consagrado.
Quisera eu apunhalar essa linguagem, na ânsia de expressar algo que transpõe o entendimento. Seria uma mulher de sorte. Mas as frases de uma sintaxe quase perfeita são compostas de palavras viscosas que escorrem pelas mãos. Ao diabo, os vocábulos.
Eu quero sorrisos e lágrimas escorrendo do papel. Não é preciso sangue não, isso eu deixo por conta das notícias nos jornais. Com desgraças diárias, a humanidade nem fica mais estarrecida.
Eu queria ver manchetes de enchentes de sentimentos e terremotos de êxtase coletivo. Uma bomba de LSD. Mas sempre vou desligar a televisão, vendo a entrevista do último bloco idiota do Jornal Nacional, enquanto milhares de pessoas morrem em Mianmar. E ler “Carta a D. – História de um amor”, do filósofo André Gorz, pra continuar acreditando na possibilidade de alguém que ama até o fim de seus dias nesse mundo insensato. Mais de sonhos do que de realidade que se vive. Ainda bem. Porque é preciso muita imaginação.
Não há crônica ensaiada que consiga expressar a dor diante de tanto descaso. Nem para dizer que eu não suporto mais ouvir promessas, de saneamento, habitação, saúde, cultura e educação, dignidade ao povo que luta, enquanto a cada dia estoura a manchete de mais um golpe no bolso do ordinário contribuinte. A gente não cuida do que é nosso, por direito, público. Pagamos impostos e não vemos retorno. Pagamos escola, plano de saúde e de previdência. Pagamos o caixão.
É verdade que as palavras tentam dizer...
Mas, ao final, podem não significar nada e sustentar apenas mais um discurso em face do absurdo.

1 comentário:

Luciana F. disse...

Oi Larissa, tudo bem? O Marcelo me indicou seu blog. Bem legal. Blogueiros de pensamento inquieto são sempre bem-vindos. Dê uma olhada nestes, quando der: http://www.fabriciocarpinejar.blogger.com.br/
http://www.clubedecarteado.blogspot.com/
E no meu, claro...rsrsrs
Ah, Carta à D. é um espetáculo mesmo...
Abraço.
Luciana