janeiro 20, 2009

Inverno




Há um gosto de lágrima perdida ao final da tarde
Esta chuva fininha que insiste a cair
Este vento a escabelar-me sem prestar contas
Há um tom perdido nesta composição
Como se faltasse apenas um bocadinho de sol para encontrar a nota perfeita
Este inverno dilacera-me os ossos
Mas o Rio Tejo inspira-me a todo nascente
E leva consigo o meu desalento
O sol desponta no horizonte todos os dias
Ultimamente sempre entre nuvens, rsrsrs
Mas eu tenho um sonho a seguir...


"Só o que sonhamos é o que verdadeiramente somos, porque o mais, por estar realizado, pertence ao mundo e a toda gente" - Fernando Pessoa


*Foto de minha autoria, nascer do sol em Algés, Rio Tejo.

Sem comentários: