março 10, 2009

Cidades literárias


As que habitam mesmo o meu imaginário são As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino.
Mas há a Paris, de Baudelaire, a Dublin de Joyce, a Praga de Kafka, a São Petesburgo de Dostoiévski, a Buenos Aires de Borges, etc.
O Festival "Fervor de Buenos Aires", que iniciou ontem, é o primeiro de vários que serão dedicados a cidades literárias, promovidos pelo CCB (Centro Cultural de Belém).
Eu estava ontem na palestra do escritor Rodrigo Fresán. Depois, na abertura da exposição de fotos (duas ilustram este post) sobre a Buenos Aires de Horacio Copolla (anos 20 e 30) e também de Borges.
Fervor de Buenos Aires é o título do primeiro livro de Jorge Luis Borges, publicado em 1923.
Vou ver o concerto de tango El Arranque no dia 20 de março, estou excitadíssima com isso.
Dou-me por satisfeita com a visitação imaginária a Buenos Aires, para mim tal qual Borges a descreveu "tão eterna como a água e o ar".

Sem comentários: