março 30, 2010

Baco é o meu Deus predileto


O Porto é lindo. Uma cidade tão diferente de Lisboa, aliás como os portuenses fazem questão mesmo de salientar, mas muito bonita...



Um final de semana bem passado, com as bênçãos do Deus Baco, regado a muito vinho e muitas risadas, foi o suficiente para tirar as teias de aranha que cobriam-me disfarçadamente.
Devota a Baco que sou, não pude deixar de provar o produto mais famoso de Portugal, a perder para o azeite de oliva talvez. Provei alguns cálices de Ruby, LBV, Vintage, mas o meu predileto é o Tawny, sem dúvida.



E a luz da Primavera a salientar as cores do rio Douro, as caves com o seu néctar divino... Que delícia! Tanto entusiasmo ainda é pouco.



Ficamos no Porto Riad Guest House, dá pra fazer a reserva pelo Booking.
O Hotel tem um estilo interessante, com uma decoração oriental.
O atendimento é muito bom e o pequeno-almoço no jardim é revigorante. Não fosse o azar do nosso quarto estar próximo da entrada do hotel, seria perfeito. Escutamos todos os que chegavam na madrugada, após as baladas na noite do Porto.
Dos deuses foi andar de carro pela região de Passo da Régua e poder observar os patamares, as vinhas e os trabalhadores a podá-las tão cuidadosamente. Caminhar e sentir o cheiro da terra, observar os reflexos do rio e um pôr-do-sol tímido com uma vista espectacular do Alto do Douro, em São Leonardo, Gafeira.
Viver em Portugal tem destas delícias, essas escapadinhas maravilhosas que podemos fazer por um preço acessível aos bolsos dos pobres viventes. Ainda mais divertida foi a viagem por estar na companhia dos amigos, que por sinal, podem ser surpresas maravilhosas na vida da gente. Momentos raros de diversão e muitas risadas.
Eu já era adepta do vinho do Porto, agora tornei-me simplesmente fã.
E Baco....bem, este sempre presente nas minhas aventuras...

março 03, 2010

Descansar, pensar, passear...


Este tempinho horroroso deixa-me mais deprimida do que o habitual. Gostaria de descansar, pensar e passear com o sol a bater na cabeça. Lembram-se daquela música linda do Lô Borges, conhecida pelo Clube da Esquina... "você pega o trem azul, o sol na cabeça..." "o sol pega o trem azul, você na cabeça..." Adoro essa bela canção...
Quisera eu ser um daqueles pássaros abençoados que cantam lá fora, neste final de tarde lilás, parecem tão alegres com a chuva. Mas eu sou uma mulher reclamilda. Vivo no país dos "queixinhas", como ouvi estes dias num depoimento de um membro da PSP no telejornal, e lamento o tempo ruim, aliás como toda a gente...
No tempo cronológico, perdemos 1,26 milonésimos de segundo por dia, ou seja, os dias estão mais curtos. Isto depois do terremoto (terramoto) do Chile. Quem falou isto, um tal cientista da Nasa, também afirmou que o eixo da rotação da Terra alterou-se em 8 centímetros, em decorrência do sismo.
E eu preocupo-me com a minha crise existencial, enquanto morreram 795 pessoas neste último sábado no Chile. Será egoísmo meu? Mas o que hei de fazer por tudo isto?
Todos vão às compras e logo se vê...afinal, é início do mês, rs.
Tantos questionamentos enquanto o pão quentinho espera-me na cozinha...depois a aula de pilates...e tudo fica mais calmo e parece que vou passear, descansar e pensar...pensar...pensar... e continuar a escrever, bem haja!
Ilustrando o post, fotografia de uma sinalização (sinalética) para os visitantes, muito gira (legal) por sinal na entrada do Museu Berardo, Centro Cultural de Belém, Lisboa.