julho 14, 2010

Itália I

A placa indicativa do Gemellaggio (cidades irmãs)

O albergue The New Station: não recomendo este lugar!

Cornedo Vicentino: uma vista da cidade

Não sei por onde começar...
E eis o início.
Fiz três viagens maravilhosas no mês de junho.
Após grandes percursos, tenho muitas histórias para contar... Entretanto, retornei ao trabalho em ritmo frenético em busca de mais clientes e com esta crise que tem praticamente "expulsado" os imigrantes para seus países de origem...se quisermos ficar mais uns meses por aqui temos que batalhar até cansar, dia após dia.
E o que apetece-me mesmo é escrever até cansar.
Mas por onde começar, das tantas experiências que vivi... acho que todas merecem um breve relato...
Pudera se tivesse a disciplina de escrever algo no meu sketchbook em cada cidade por onde passei.
Mas as experiências sugaram-me toda a energia, as decisões que tinha de tomar e tanta coisa para ver... os olhos cansados no final do dia só queriam dormir para o dia seguinte.
Inicio o meu breve relato por onde?
Pelo dia em que parti.
Após esta metareflexão de viajante, vou seguindo pelo caminho, com alguns tropeços nesta escrita preguiçosa.
Sigam-me.
.........
Dia 26 de junho parti da cidade do Porto com destino à cidade de Bergamo... num vôo lowcost da Raynair.
:::::::::..........
A primeira impressão que tive, desde o aeroporto, era de um bocado de apreensão. Sentia uma certa responsabilidade porque apenas eu falava um pouco o idioma italiano e entendia o inglês...consigo me arranjar, mas preciso estudar mais para me aperfeiçoar... e também porque não tinha muita convicção de que me safaria em todas as ocasiões. O que é esperado de um viajante. Afinal, tudo pode acontecer. E este sentimento em relação ao desconhecido é que faz a viagem ter alguma graça.

O roteiro da Viagem pela Itália:
26 de maio - Partida do Porto para Milão - trem para Vicenza - carro para Cornedo Vicentino (cidade irmã ou cidade gémea de Sobradinho - RS- Brasil - lugar onde nasci)
27 de maio - Cornedo Vicentino - Valli del Pasubio (terra onde nasceu meu bisavô)
28 de maio - Verona
29 de maio - Sirmione - Lago di Garda
30 de maio - Veneza
31 de maio - Veneza
01 de junho - Roma
02 de junho - Retorno a Lisboa (Portugal)

Chegamos em Bergamo às 13h20min, horário local. Perguntei no aeroporto como chegar até o centro da cidade, onde pegaríamos o trem na estação até Vicenza. Tudo muito simples, tranquilo.
O trem que vai até Vicenza passa por várias cidades, dentre elas, Brescia, Peschiera del Garda (uma cidade de veraneio, onde visitaríamos depois o Lago di Garda), passando por Verona..e chegando finalmente ao destino: Vicenza.
O custo da passagem de avião para 3 pessoas em vôo lowcost (baixo custo) do Porto para Lisboa é mais barato (54 euros) do que uma passagem de trem (comboio) de Bergamo a Vicenza (69 euros) da estação de Bergamo. Veja como andar de trem na Itália: http://www.trenitalia.com.
Em geral, viajar pela Europa é mais barato de avião, com passagens lowcost, compradas com muita antecedência, sempre há promoções, entretanto, se tiveres menos de 26 anos e fizeres o InterRail, provavelmente sairá mais barato.
No caminho vimos videiras belíssimas, plantações de milho e feno, muitas indústrias, cidades próximas uma da outra, não há grandes distâncias a percorrer como no Brasil, parece-se bastante com Portugal.
Tínhamos feito uma reserva de locação de um carro pela empresa EuropCar, mas tivemos um problema com o cartão de crédito e tivemos que ir para Cornedo Vicentino de ônibus (autocarro).
O primeiro imprevisto da viagem e eu diria que o único mais grave foi este. Tive que discutir em italiano com uma moça (rapariga) chamada Francesca. Foi muio engraçado e ao mesmo tempo chato, porque não conseguimos locar o carro que já estava pago, mesmo fazendo ofertas de deixarmos o dinheiro referente à caução... ela não aceitou fazer nenhuma exceção aos procedimentos da empresa. E como já eram 19h da noite... tivemos que pegar um ônibus (autocarro).
Ainda bem que ainda havia horários de ônibus para a tal cidadezinha de Cornedo Vicentino.
Que nomezinho estranho este, não é mesmo? Bem, fazia parte do nosso roteiro, porque meu pai queria conhecer a tal cidade de Cornedo Vicentino que possui um laço de cooperação internacional com o município onde nasci. Que aliás também não tem um nome nada coloquial...Sobradinho. Tudo bem pequenino, combinadinho.
De Vicenza a Cornedo Vicentino viajamos 31km, chegamos às 21h. Cansadíssimos.
E lá vai eu como o meu italiano básico... tratar da entrada no "albergo" The New Station.
Que lugar básico. Horrível. O quarto ficava no último andar, com janelas para frente do albergue, onde passava uma avenida com carros, barulhento...
O banheiro (casa de banho) não tinha um local apropriado para tomar banho, ou seja, havia chuveiro, mas a água escorria até a o vaso sanitário (sanita).
Fiquei totalmente chateada com a situação, entretanto, tinha que segurar a minha onda pois estava com os meus pais e não queria estragar o clima com a minha preocupação. Ainda mais que o meu pai no dia seguinte conheceria a cidade onde nasceu o seu avô (meu bisavô).
Mesmo assim não conseguia esconder a frustração, pois havia reservado aquele lugar com a lembrança vaga de como tinha sido atendida em 2006.
Naquela altura, fiquei num quarto normal e correu tudo dentro do esperado, tinha feito uma viagem a trabalho, como assessora de imprensa, representante do município de Sobradinho numa feira internacional em Cornedo Vicentino.
Desta vez senti-me totalmente frustrada, desde o atendimento, o local, tudo. Um horror!
Uma senhora que ficava fumando e jogando numas máquinas de cassino o dia todo era a dona do albergue... um negócio familiar... entretanto, parecia tudo muito suspeito. Essas coisas acontecem nas viagens, temos boas e más surpresas. Faz parte de ser viajante.
Então, dormimos uma noite de sono interrompido com o barulho dos carros..pensando inevitavelmente que tínhamos reservado aquele quarto por 4 dias...até o dia 3o de junho.
Sem carro não conseguiríamos fazer os roteiros pretendidos. Tínhamos que resolver isto no dia seguinte. Mas se a sorte estava conosco....haveríamos de encontrar uma forma de resolver isto. Tudo porque a EuropCar não aceitou um cartão de crédito sem os números sobressalientes. Tenham isso em conta quando fizerem uma reserva internacional. Eles somente aceitam locar um carro utilizando o seu cartão de crédito para fazer uma caução, é a segurança deles caso devolveres o carro com algum prejuízo. Entretanto, se não tiveres o mesmo cartão que efetuaste a reserva, levares um outro, como foi o nosso caso, que não tem números sobressalientes (porque era um cartão da Copa bem bonito o layout). Provavelmente terás problemas.
Dito isto, depois das chatices. Sempre vem o dia de amanhã que sempre nos surpreende. Positiva ou negativamente. Basta dormir, relaxar, se não conseguir como foi o meu caso, espere o dia nascer...
Amanhã continuo o relato com grandes emoções. ;-)

3 comentários:

Erica Ritacco disse...

Cara,
Itália como você pode ver é linda, cheia de patrimonios históricos e repleta de boa história, mas do ponto de vista burocrático é terrível. A gente por aqui passa muita raiva. Para você ter idéia meu marido está tentando fazer a carta de identidade nova ha mais de dois meses e não consegue porque a cada vez que ele vai ao Comune criam um problema. Detalhe que ele tem cidadania italiana, imagine um estrangeiro. É duro! Provavelmente ele terá que viajar quatro horas para resolver esse problema na cidade em que ele fez o documento pela primeira vez.

Enfim...isso é Italia.

Continue escrevendo sobre a viagem. Fiquei curiosa

Ariany disse...

Olá,

Meu nome é Ariany, eu represento o Blog Vestibular, da FECAP (Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado).
Primeiramente lhe parabenizo pelo seu blog e gostaria de lhe convidar a conhecer e opinar num ambiente repleto de informações sobre educação: http://blogvestibularfecap.blogspot.com/

Conto com a sua visita!
Até mais!

Joel M. disse...

Muitas são as ânsias comuns que relatas. A logística, a definição de percursos, os preparativos, a desilusão, o improviso, o encantamento... Muitas vezes para termos o sabor do doce precisamos juntar o salgado na receita e o resultado final acelera o palato na descoberta de sensações que nos marcam na mente, como as rugas no rosto.

Verona é extraordinária, Bergamo tem encantos renascentistas, Milão desiludiu. Todo o norte visto de Pendulina ou carro é tal qual o dizes, vinhedos com a casa da propriedade no centro, industria, cereias, etc.

Viajar para mim é parar para descansar a mente...